segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Quando o casal recorre às fantasias sexuais, é sinal de que o amor acabou?



Querida leitora, as fantasias sexuais podem até parecer um assunto comum, mas ainda há muitos casais que não falam sobre elas. Existem parceiros cheios de desejos e vontades reprimidos por puro constrangimento e preconceito.




Eles ficam imaginando o que o parceiro vai pensar e têm receio de que se decepcione. Mas, amiga, a fantasia sexual é absolutamente saudável desde que não prejudique o outro nem a si mesmo. É bom lembrar que ela pode ser prejudicial se a pessoa topar só para satisfazer o parceiro.




Presentes no imaginário de homens e mulheres, as fantasias sexuais podem envolver os cinco sentidos: olfato, visão, tato, paladar e audição. Quando bem usados eroticamente, aumentam ainda mais o prazer.




Quando a pessoa tem uma ou mais fantasias, daquelas com as quais você sonha acordada, sempre imaginando a mesma cena, deve arriscar um papo sincero com o parceiro. Mas nem todas as fantasias precisam ser realizadas.





Casal fortalecido




Ao contrário do que as suas amigas falam, cara leitora, as fantasias sexuais são ótimas para fortalecer a relação, por meio do estreitamento dos laços de intimidade.









Também fazem com que as pessoas se sintam mais desejadas, alimentando a autoestima dos envolvidos. Em suma, faz você se sentir bem e pode até aumentar o desejo do casal.





Comentem:

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Comprar camisinha ainda é tabu para mulheres, diz pesquisa!

Nós mulheres conquistamos, a cada dia, mais espaços na sociedade e no mercado de trabalho. Mas quando o assunto é sexualidade o panorama parece que ainda tem o que evoluir. Uma pesquisa encomendada pela marca de preservativos Olla mostra que comprar camisinha ainda é tabu para grande parte do público feminino: elas se sentem desconfortáveis (42%) ou julgadas (37%) na hora de obter o produto. Já para a maioria dos homens (72%) é natural adquirir os preservativos.





— O constrangimento e a vergonha parecem estar relacionados ao medo de serem julgadas como promíscuas, enquanto os homens não sofrem o mesmo — analisa a antropóloga especialista em comportamento feminino, Mirian Goldenberg.





Um dado que preocupa a sociedade médica foi confirmado pelos entrevistados na pesquisa — pessoas sexualmente ativas com idades entre 18 e 35 anos: grande parte deles raramente usa camisinha.




— Com o avanço nos tratamentos, o medo de contrair uma doença sexualmente transmissível diminuiu muito. Então os jovens que não viveram a época do descobrimento do HIV, deixam de usar o preservativo. Isso tem aumentado muito a transmissão de DSTs, como a sífilis, por exemplo — afirma Cássio Sartório, ginecologista do Vida Centro de Fertilidade.




Poucas levam na bolsa


Das mulheres entrevistadas, 63% afirmaram já ter feito sexo sem proteção porque nenhum dos dois tinha camisinha. Apesar de acharem que deveriam levar os preservativos na bolsa (77%), apenas 29% delas os têm. Grande parte (47%) acredita que seria julgada pelo parceiro por ter o item, mas 79% dos homens garantiram que não veriam problema algum.





— Apesar de defenderem uma maior igualdade de gênero em suas falas, elas têm medo do preconceito a respeito de seus comportamentos sexuais. A vergonha não é necessariamente do parceiro, mas de não corresponder a um modelo de mulher que reprime a própria sexualidade — afirma Mirian.





Comentem:

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Posições sexuais para apimentar sua relação

Sair da rotina sempre é uma boa opção, então vamos lá, porque não fazer algumas posições diferentes?

 Aqui estão posições para se tentar fazer, alguma posições pode ser extremamente prazerosas outras não depende muito de casal para casal.












Mais para frente postarei mais posições.


Comentem :

Postagens mais visitadas