sábado, 3 de dezembro de 2016

Parque erótico será inaugurado em 2017 no Brasil


O “Erotikaland”, um parque temático previsto para ser construído até o final de 2017 na região de Piracicaba (SP). Com orçamento de até R$ 150 milhões, a “sexolândia”, como definem os idealizadores, pretende ser um complexo para homens e mulheres que queiram se divertir e passar por experiências ligadas apenas ao tema.





De roda gigante com cápsulas de vidro onde o casal enxerga tudo o que está em volta, mas ninguém de fora vê com o que acontece dentro dela, até restaurantes com pratos afrodisíacos e piscinas de naturismo estão previstos no projeto. A “sexolândia” foi idealizada pelos empresários de São Pedro (SP) Mauro Morata e Paulo Meirelles, em parceria com Evaldo Shiroma, responsável por uma feira erótica do estado de São Paulo.

O empresário afirmou que a maior parte do capital de R$ 150 milhões da construção do parque será usada para investimento em segurança e higiene. O restante será destinado à obra, implantação dos equipamentos e contratação de funcionários. A estimativa é contratar de 150 a 300 pessoas para trabalhar no local.

Atrações



A “sexolândia” terá pelo menos 11 atrações. A roda gigante panorâmica consiste em uma experiência sexual "privê" nas alturas, em cápsulas transparentes onde ninguém esteja vendo nada do lado de fora. Além disso, o complexo terá um setor destinado aos “eroticgames”, com jogos eletrônicos relacionados ao erotismo e uma loja com produtos de sexy shops.







Entre os brinquedos, está o “trem do sexo”, que terá o mesmo conceito de um “trem fantasma”, só que ao invés de um susto a cada parada, o visitante poderá conferir diversas posições sexuais. O projeto ainda prevê um museu que explica toda a trajetória do sexo e um cinema 7D, que além de transmitir vídeos eróticos vai despertar sensações como frio e calor.


A brincadeira pode já começar no estacionamento, onde haverá uma área reservada para o dogging,  é claro que terá o estacionamento normal para quem não curte o dogging (um misto de voyeurismo e swing que se baseia no prazer de ser observado fazendo sexo em lugares públicos).




dogging (transa dentro do carro) 

Além das piscinas de nudismo e dos restaurantes com pratos afrodisíacos, as pessoas poderão ainda visitar esculturas em formatos de pessoas nuas, um bosque com labirinto para os casais ficarem até 15 minutos no local e um motel que vai funcionar dentro do complexo. “Não queremos que ninguém veja nada que não queira ver. Por isso a ideia do motel. Deu vontade, vai no motel”, disse o empresário.


Morata ainda relatou que o visitante do complexo, antes de começar a usar os brinquedos, vai entrar em uma sala onde serão explicadas as regras do parque. A principal preocupação dos idealizadores é que as pessoas confundam um local para aproveitar atrações com a temática sexual com uma área onde "tudo pode acontecer".


"Teremos regras, assim como em todos os lugares existem regras. Não será proibido fazer sexo no parque, até porque seria uma contradição, mas vai existir lugares para isso. Não queremos que confunda com bagunça, será um empreendimento leve e monitorado por seguranças. Não é pra ir freiras, mas também não vai ser uma Sodoma e Gomorra", contou.




Layout o parque

Clube


Além do capital da empresa e de investidores, a “Erotikaland” será financiada pelo próprio valor do ingresso cobrado para entrar no local, que ainda não está definido, e também por um sistema de associados. Ou seja, o parque terá uma área vip, com chalés, área de sauna, massagens, que só poderá ser acessada se o cliente pagar uma mensalidade para os proprietários.


O que acharam ? Um bom lugar para iniciar a realizações de algumas fantasias de vocês.

comentem:



3 comentários:

Deixem comentários para mim!

Postagens mais visitadas